da cultura do espargo

Local: Bem drenado e, importante, sem ervas daninhas perenes. Os espargos são plantas perenes, podendo estar em produção durante 20 anos. As raízes são superficiais, pelo que é não é recomendável a sacha para controlo de infestantes; será preferível um bom controlo inicial das ervas daninhas e a utilização de palhagem.

Sementeira: Ao ar livre, no início da Primavera. As plantas devem ser desbastadas de modo a ficarem a 15cm umas das outras. No início da Primavera seguinte, as raízes, vulgarmente chamadas coroas, devem ser transplantadas para o local definitivo.

Plantação: Numa vala com 20cm de fundo e 30cm de lado, fazer um aterro ao longo do meio, com 10cm de altura, por forma a permitir colocar os centros das coroas superficialmente e as raízes espalhadas pelos lados mais fundos. As plantas devem ficar à distância de 40cm umas das outras. Tapar a vala com terra e cobrir com uma camada de palhagem ou composto.

Cultivo: Manter o canteiro erradicado de ervas daninhas. Regar em tempo seco. Estacar a folhagem, com canas espetadas no intervalo das plantas e cordel entre elas para amparar as folhas, que tombam facilmente com o vento. No final do Outono, quando as folhas amarelecem, devem ser cortadas rente ao solo e o canteiro coberto com uma camada de composto bem curtido.

Colheita: A partir do segundo ou terceiro ano após a plantação, conforme a robustez das plantas, cortar os turiões rente ao solo, quando tiverem de 10 a 15cm de altura. No início devem colher-se os turiões só nas primeiras semanas da Primavera, nos anos seguintes durante toda a Primavera até ao início do Verão. Os restantes devem deixar-se crescer para que possam produzir folhas.

Problemas: O criócero do espargo (alaranjado e negro) e as suas lagartas (verde-acinzentadas) – ainda não os vi por cá. Eventualmente as lesmas no início da Primavera.

13 responses to “da cultura do espargo”

  1. Filipe says :

    Obrigado pelo detalhe na cultura de espargos, tenho é um problema com a minha terra que é argilosa, ando a colocar estrume para ver se corto pelo menos a camada mais superficial. Mas vou experimentar esta Primavera num viveiro a cultura de espargos. Uma das razões porque nunca tentei, era por saber que era uma cultura fixa e os meus canteiros, sofrem grandes alterações de ano para ano com novas tentativas

  2. Luciano says :

    As raízes dos espargos são bastante superficiais pelo que se conseguires arejar a camada superior não deves ter problemas de maior. Outro solução será fazeres um canteiro elevado.
    Têm realmente o inconveniente de só começarem a produzir ao fim de 3 ou 4 anos. De qualquer forma creio que vale a pena!

  3. Domingos says :

    há pessoas que gastam os seus tempos livres a procurar espargos. Eu, como não os conheço nem sei qual o terreno onde os devo procurar, ainda não encontrei nenhum. Como devo fazer? onde procurar? em que terreno?
    Obrigado.

  4. Luciano says :

    Domingos, sei que há espargos selvagens, que crescem espontaneamente no monte, nomeadamente em Trás-os-Montes sei que os costumam apanhar, mas nunca participei numa dessas expedições. Os que colhemos são os que plantámos aqui na quinta.
    Sei também de pessoas que os têm nos jardins como ornamentais e nem fazem ideia que são comestíveis!

  5. barreto says :

    onde se pode comprar as sementes que nao encontro em lado nenhum

  6. Luciano says :

    barreto,
    a jardicentro é uma hipótese, ou então a organic catalog ou Thompson & Morgan. Também se podem comprar as coroas, poupando algum trabalho e um ano de espera, por exemplo n’ A Sementeira.

  7. dulcelavajo says :

    para uma ignorantenesta matéria, gostava de saber mais formas de cultura de espargos mais rápido do que 2 ou 3 anos e onde adequirir para plantar

  8. luis says :

    plantei umas coroas que mandei vir de fora, assim que as plantei comecaram a rebentar os espargos, colhi alguns para experiencia mas deixei crescer os outros para darem folhagem.
    o que pergunto e como fazer para os espargos nascerem mais grossos? e para que fiquem brancos e necessario tapar?
    quantos espargos se pode esperar de cada coroa?

  9. Luciano says :

    @luis, os turiões começam a ter maior diâmetro à medida que a planta se vai estabelecendo. Logo a seguir à transplantação das coroas é natural que tenham menos vitalidade. Quanto aos espargos brancos, creio que são obtidos como diz, por estiolamento.

  10. Eugenia do vale says :

    boa tarde!
    Pois é! comecei agora com a cultura de espargos.
    Semeei em caixas pequenas em casa, já nasceram, mas nasceram muito fininhos, já sei que tem que se esperar um ano para transplantar.
    Será que se o fizer agora na próxima primavera resulta?
    Se alguém mais experiente souber eu agradeço
    muito obrigada. Eugénia

  11. Chaparrão says :

    Os espargos selvagens apanham-se nas espargueiras.
    A espargueira é um aglumerado de picos como as silvas mas são verdes e mais vinos apanham-se muitos no monsanto na zona de lisboa e em quase todo o alto alentejo espero ter ajudado.

  12. roberto says :

    Boa noite,
    Tenho uma quinta e vou iniciar a plantação de espargos. Como é uma planta duradoura, a escolha do local certo para os plantar é essencial. Devo escolher um local com muita sombra ou com exposição solar ?? Estava a pensar pô-los junto a um bardo de camélias, mas ai é sombra quase todo o dia. Será um bom local ????
    Cumprimentos
    Roberto

  13. Graça says :

    Gostaria de saber se a rega gota a gota é adequada para os espargos, e quais as necessidades de água (frequência de regas)

    Obrigada
    Graça

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: