À procura da nascente

Ainda na empreitada das regas, um novo capítulo: a nascente abaixo da pérgula. Esta água já estava a ser aproveitada mas de uma forma muito tosca. Era encanada tal como aparecia à superfície da terra, sujeita portanto a arrastar muitos detritos em suspensão e a entupir facilmente.
O Sr. Manuel esteve a afastar a terra até chegar ao penedo. Amanhã vai-se fazer uma caixa em pedra e cimento à volta, onde depois irá ser cravado o tubo de escoamento. Vai levar também uma tampa, em ferro, para evitar que caia terra lá dentro.
Depois de tudo pronto vou medir o caudal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: