A figueira secou

E só dei conta há uns dias, quando a Elsa chamou a atenção para o facto da figueira não ter ainda nenhumas folhas novas. O corte do grande tronco que atravessava o caminho foi fatal.
A zona do corte continua com bom aspecto, portanto imagino que o problema tenha sido o facto de ter feito a “poda” no período vegetativo e não ter esperado pela queda das folhas.
Seja como for, os melhores figos pingo-de-mel cá da quinta foram-se. Há que pensar em locais alternativos e tratar de plantar outra.

5 responses to “A figueira secou”

  1. Bi says :

    :-(((((((((

  2. gintoino says :

    Q pena! Perder assim uma “fonte de pingos de mel”…Pode ser q venha a criar rebentos a partir da raiz. A minha figueira maior tb sofreu um bocado aquando da construção da fossa septica (fizeram um dos canos passar mesmo ao lado o q danificou a raiz, mas mais tarde começou a deitar rebentos e agora está qse do tamanho original.

  3. Esteva says :

    Estremeci de medo: e se acontece o mesmo à minha? Consta que tem mais de cem anos e tem sido muito podada por nós porque é gigante e cresce em todas a direcções… Ai, ai, a nossa está linda, mas com este teu exemplo acho que não lhe mexo mais com a tesoura da poda. Veremos é se resiste ao vendaval que a Protecção civil promete para este fim de semana – o ano passado, em AAgosto, na seqwência de um outro vendaval, caiu um dos seus ramos mais grossos… Ah, e também é pingo de mel.

    Resumindo: compreendo a tua tristeza…

  4. Violeta says :

    Oh, que pena! Por acaso ainda me recordo da maior figueira que vi na vida. Ficava no monte dos meus avós maternos e era espectacular mesmo. Com uma copa enorme q caia pelos lados e fazia um abrigo debaixo onde eu brincava as casinhas (casonas! hehe!) e, na época devida, me deliciava com os belos figos, também eles “pingo de mel”. O cheiro era maravilhoso e os figos (que adoro) nem se fala. Nunca mais comi nenhuns tão bons… Tenho saudades da figueira… (Bem, o comentário gigante e nostálgico a que a morte de uma figueira deu origem…)

  5. Luciano says :

    Procuro não me arreliar muito com estas coisas. Quem lida com plantas, ou para o caso também podiam ser animais, pessoas, máquinas ou ideias, sabe que elas não duram para sempre. E que quando desaparecem, algo toma o seu lugar, algo que pode ser ainda mais causador de admiração.
    Filosofias baratas à parte, obrigado pelo vosso amparo e sigamos em frente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: