Melros

Mais uma vez, sentado em frente ao computador no meu escritório, olho pela janela e, lá em baixo, no caminho para o rio, um episódio da vida selvagem, tão banal quanto terno: um papá melro a alimentar um filhote.

O pequeno, que afinal já é quase o tamanho do pai, aguardava imóvel enquanto o progenitor, visivelmente atarefado, revirava com golpes de bico todas as folhas e ervas tombadas no chão, à procura de insectos, vermes ou pequenos frutos.

Quanto encontrava algum, o que parecia acontecer frequentemente, engolia-o. Só depois de vasculhar uns bons palmos de terra é que voltava para junto do filhote. Já a antecipar o que se seguiria, o petiz piava incentivando o pai, abrindo bem o bico para que ele lá depositasse a colheita ou a caça.

Atento aos ensinamentos do pai, daqui por mais uns dias tornar-se-á independente, capaz de procurar alimento por si próprio.

2 responses to “Melros”

  1. Susana Pinho says :

    Que ternura!!
    A aquisição de autonomia é o grande objectivo. Diz o papá que é preciso “empurrar” os filhotes do ninho para irem ter a sua própria vida. Quanto aos nossos ainda estamos no princípio da aventura…

  2. neftos says :

    que lindo :D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: