Nabos a corar

Com a abundância de nabos surge a necessidade de lhes encontrar destinos. Um que me tinha ficado debaixo de olho desde que o vi referido, pela primeira vez, no blog da Ana Ramon, foi a nabada. De Semide, pois claro.
Indica a receita que devem ficar os nabos a corar, que é como quem diz: de molho, durante quatro dias. E é o que estão neste momento estas fatias a fazer, dentro de uma bacia com água.

4 responses to “Nabos a corar”

  1. gintoino says :

    ah pois, por cá tb se vai experimentar a receita…Tem bom ar pelo q li no blog da Ana.

  2. tete says :

    Apesar de ter ficado à mesa, até à três horas da tarde, diante de uma sopa de nabos que me negava a comer (aos 3 anos de idade). Sinto agora que terei coragem de provar o teu doce, dás-me uma bocadinho ?

  3. ana ramon says :

    Espero que tenhas ficado agradado. Por esta altura certamente já experimentaste. Os meus ainda estão atrasados mas estou á espera que se desenvolvam para fazer um frasco para o Natal.
    Este ano tenho feito uma série de compotas e agora ando ás voltas com os licores. Nem sei como vou consumi-los tal é a quantidade e variedade :)) Deixei-me cativar por este trabalho e estou a pensar em iniciar-me nos destilados para aproveitar a alquitarra que é um processo que me maravilha e que só tenho usado na medronheira e na aguardente de pera.
    Boa nabada!

  4. nat says :

    Que ideia interessante, principalmente agora que há tantos na horta….
    :)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: